sábado, 13 de fevereiro de 2016

Ministério Público gasta R$ 13 milhões em iPhone 6 e celulares para servidores




Ministério Público Federal abriu um pregão eletrônico para resolver algumas questões que estavam incomodando: o edital "tem como objetivo o atendimento à crescente demanda por serviços corporativos disponibilizados nos sítios institucionais e também outros órgãos, tais como: correio eletrônico institucional, serviço de mensagem instantânea, nuvem de dados corporativa, dentre outros". 

No momento da abertura, o MPF supostamente esperava gastar R$ 2 milhões em equipamento. Porém, parece que tudo escalou de uma maneira assustadora. Traduzindo o que foi escrito, já que o linguajar utilizado em editais nem sempre favorece a leitura de todos, o MPF buscava comprar equipamentos eletrônicos de alguma operadora para poder trocar emails, mensagens de textos (seja WhatsApp ou SMS), utilizar a nuvem para armazenar arquivos e "outros serviços". 

Para isso, o Ministério Público Federal estabeleceu supostamente R$ 2 milhões para comprar 300 acessos móveis de categoria 1, 250 acessos de categoria 2, 150 USB e 200 cartões de memória para iPad. Novamente, traduzindo: 300 iPhone 6 e 250 Sony Xperia ou Moto G para os servidores realizarem serviços corporativos.

Em manchete, o TecMundo erroneamente atribui as compras ao governo Dilma. Porém o MPF possui autonomia na estrutura do Estado, não pertencendo a qualquer dos três Poderes.