sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Serra mantém funcionária fantasma em casa para "projeto secreto"

            :


Senador José Serra nega que Margrit Dutra Schmidt seja fantasma e disse que ela trabalha de casa, prática vetada no Senado; o tucano alega que pediu à liderança da oposição a cessão de Margrit porque “desejava que ela se dedicasse a um projeto na área de Educação”: “Ainda é um projeto sigiloso, peço que você não adiante o que é. Lançarei em breve. Queria alguém que me ajudasse em questões não econômicas. Conheço a Mag há muitos anos. Tenho relações pessoais e intelectuais”, afirmou Serra; Margrit é irmã de Mirian Dutra Schmidt, que manteve uma relação extraconjugal com o ex-presidente FHC e agora revelou que era bancada por ele no exterior através da empresa Brasif; segundo o blog do jornalista Lauro Jardim, ela vai diariamente, de manhã e à noite, registrar sua digital na entrada principal do Congresso, a Chapelaria, mas não cumpre expediente.

247 - O senador José Serra deu uma explicação inusitada sobre sua funcionária fantasma, Margrit Dutra Schmidt. Segundo o blog do jornalista Lauro Jardim, Margrit, vai diariamente, de manhã e à noite, registrar sua digital na entrada principal do Congresso, a Chapelaria, mas não cumpre expediente. Ela é irmã de Mirian Dutra Schmidt, que manteve uma relação extraconjugal com o ex-presidente FHC e agora revelou que era bancada por ele no exterior através da empresa Brasif.

Serra negou que ela seja fantasma e disse que Margrit trabalha de casa, prática vetada no Senado. Segundo reportagem do Globo, ele alega que pediu à liderança da oposição a cessão de Margrit porque “desejava que ela se dedicasse a um projeto na área de Educação”: “Ainda é um projeto sigiloso, peço que você não adiante o que é. Lançarei em breve. Queria alguém que me ajudasse em questões não econômicas. Conheço a Mag há muitos anos. Tenho relações pessoais e intelectuais”, afirmou Serra.

Confrontado sobre o fato de ninguém em seu gabinete conhecer a existência da funcionaria, ele diz: “Ela trabalha (de casa). Meu gabinete tem pouco espaço, não tem sala para todo mundo”.

Margrit trabalha no Senado há 15 anos. Passou pelo gabinete do ex-senador Arthur Virgílio ( PSDB), hoje prefeito de Manaus, e da senadora Lúcia Vânia (PSB- GO), ex-tucana, sem nunca exercer o cargo. Até Álvaro Dias assumir o cargo, em março passado, quando foi demitida