quarta-feira, 23 de março de 2016

Moro impõe sigilo ao listão da Odebrecht, que já vazou para a imprensa



Juiz Sérgio Moro decidiu colocar em segredo de Justiça uma lista de pagamentos a cerca de 200 políticos, apreendida em uma busca da PF na casa de um dos executivos da Odebrecht; medida foi tomada após a relação ter sido anexada no processo sobre as investigações da 23ª fase da Lava Jato e divulgada pela imprensa; medida, portanto, é inócua, uma vez que já houve vazamento

André Richter - Repórter da Agência Brasil
O juiz federal Sérgio Moro decidiu nesta quarta-feira (23) colocar em segredo de Justiça uma lista de pagamentos a cerca de 200 políticos, apreendida em uma busca da Polícia Federal na casa de um dos executivos da Odebrecht. A medida foi tomada pelo juiz após a relação ter sido anexada no processo sobre as investigações da 23ª fase da Operação Lava Jato, conhecida como Acarajé, e divulgada pela imprensa.

A lista cita políticos da oposição e do governo que receberam repasses da empreiteira. Nos documentos, não há juízo sobre a legalidade dos pagamentos. A construtora é uma das maiores doadoras a políticos.

"Prematura conclusão quanto à natureza desses pagamentos. Não se trata de apreensão no Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht e o referido Grupo Odebrecht realizou, notoriamente, diversas doações eleitorais registradas nos últimos anos", argumenta o juiz.

Moro decidiu colocar a planilha, apreendida na residência de Benedicto Barbosa da Silva Júnior, executivo da empreiteira, por citar políticos que tem foro por prerrogativa de função e só podem ser processados pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

“De todo modo, considerando o ocorrido, restabeleço sigilo neste feito e determino a intimação do MPF para se manifestar, com urgência, quanto à eventual remessa ao Egrégio Supremo Tribunal Federal para continuidade da apuração em relação às autoridades com foro privilegiado”, decidiu Moro.