quinta-feira, 17 de março de 2016

Por que a PM não interveio na manifestação sem aviso prévio na Paulista?


Questionada por Fórum na parte da manhã, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo ainda não respondeu qual foi o procedimento adotado, já que em outros protestos recentes foi exigido o aviso com antecedência. O fato é que manifestantes bloqueiam uma das avenidas mais importantes do país desde a noite desta quarta-feira (16).

Uma das principais “pedras no sapato” de movimentos sociais organizados e entidades que se manifestam nas ruas de São Paulo sempre foi a questão da obstrução das vias. Em diversas ocasiões, a Polícia Militar exigiu que a manifestação fosse avisada e pactuada junto à polícia com antecedência sob a alegação de que o trânsito precisaria ser organizado e a “segurança”, garantida.
Assim fez, e de forma rígida, com manifestações recentes dos estudantes secundaristas e do Movimento Passe Livre (MPL). Os movimentos, por exigência da Secretaria de Segurança Pública (SSP), tiveram que estabelecer comissões para negociar com a equipe de segurança o trajeto e o horário da manifestação com pelo menos um dia de antecedência.
Em protestos do Movimento Passe Livre, por exemplo, a Polícia Militar chegou a atacar manifestantes com balas de borracha e bombas de gás sob o argumento de que eles estariam desrespeitando o horário ou o trajeto pré-estabelecido.
“A SSP lamenta que, mais uma vez, o Movimento Passe Livre negou-se a comunicar previamente as autoridades sobre o trajeto e destino da manifestação. A comunicação prévia é uma exigência constitucional e é fundamental para que o trânsito seja reorganizado, bem como o traçado das linhas de ônibus. Também é importante para a limpeza prévia do trajeto. Por esse motivo, a comunicação deve ser feita em tempo razoável, de maneira a garantir a todos a plena liberdade de manifestação e o direito de locomoção”, disse a secretaria em nota enviada à Fórum em janeiro deste ano. Na ocasião, a própria SSP delimitou um trajeto para os manifestantes.

Avenida Paulista bloqueada na manhã desta quinta-feira (17). Foto: Cristiana Engelmann
Avenida Paulista bloqueada na manhã desta quinta-feira (17). Foto: Cristiana Engelmann

Essa exigência, no entanto, aparenta ser um tanto quanto seletiva. Isso porque a avenida Paulista está bloqueada desde às 20h desta quarta-feira (16) para que algumas dezenas de manifestantes protestem contra o governo e o PT. A via permaneceu interditada para carros, inclusive, no início da manhã – horário considerado de pico para o tráfego.
Questionada na parte da manhã e cobrada na parte da tarde pela reportagem de Fórum, a SSP até agora não explicou o motivo pelo qual não exigiu dos manifestantes de verde e amarelo um aviso prévio sobre o protesto e nem estabeleceu um limite de local ou horário.
Diferentemente do tratamento dado à Fórumao portal G1 a Secretaria de Segurança Pública informou que recebeu hoje um ofício do Movimento Brasil Livre informando sobre a realização do protesto – isso 18 horas depois que a manifestação já havia começado.
O secretário de Segurança Pública, inclusive, compareceu à avenida no início da tarde de hoje, na tentativa de fazer algum tipo de acordo com os manifestantes, mas foi hostilizado e expulso.
No mesmo local deve acontecer, nesta sexta-feira (18), uma manifestação em defesa da democracia e contra os atos de direita – esta já acordada com o poder público há mais de um mês.
Foto: Elaine Patricia Cruz/Agência Brasil