quarta-feira, 6 de abril de 2016

Janaina Paschoal se pronuncia sobre a performance que assustou o Brasil


O discurso de Janaina Paschoal, 41 anos, na USP para uma plateia de alunos e professores assustou muitos brasileiros nesta terça-feira (5).
Girando no ar uma bandeira do Brasil, a advogada disse que o país não é uma “República de Cobras”, em referência à fala que o ex-presidente Lula se comparou a uma jararaca. Janaina dava socos no ar, falava em ‘Deus’ e se mexia para frente e para trás.
O discurso de Janaína foi convertido em piada e memes de internet. Mensagens que ironizavam sua fala levaram ontem o nome da advogada aos Trending Topics nacionais do Twitter.
“Diz a lenda que se você puser a fala de Janaína Paschoal de trás para a frente, ouve o discurso de posse de Michel Temer”, dizia a mensagem colada a uma foto de Janaína compartilhada pelas redes sociais.
Uma montagem também a colocou como vocalista do clássico do metal “The number of the beast”, da banda Iron Maiden (assista aqui).
O site de “notícias falsas” Sensacionalista publicou que Janaína era a “menina pastora”, referência a uma pregadora que ganhou fama em 2007.
Ao jornal O GloboJanaina se pronunciou pela primeira vez: “Não sou pastora, nem estava possuída, nem tinha bebido, também nunca usei droga. Só sou uma brasileira cansada de tanta hipocrisia. Nem sabia que essa criança existia”
Para a BBC Brasil, Janaina disse que seu discurso repercutiu porque ela enfrentou Lula. “Eu não tenho culpa se o próprio Lula confessou, em rede nacional, ser uma cobra”, disse. Em artigo publicado na Folha, a advogada já chegou a declarar que Lula é o pior problema do Brasil.
Sobre o seu discurso acalorado, desprovido de argumentação jurídica e racional, a autora do processo de impeachment se defendeu: “Uma audiência é eminentemente técnica, mas um ato público é um momento de emoção. A reação, pelo menos lá, foi positiva. Muitos me disseram que eu falei o que gostariam de falar”.
Com duas irmãs, Janaína comanda um escritório de Direito Penal econômico nos Jardins, área nobre de São Paulo. Um dos seus clientes mais famosos é Chiquinho Scarpa.
“É a melhor advogada do Brasil, me defende há 15 anos e nunca perdemos. Quando entra numa história, é para ganhar”, diz o socialite.
Na terça-feira, porém, durante julgamento em Brasília, Janaína não salvou seu cliente, o procurador da República Douglas Kirchner, da demissão pelo Conselho Nacional do Ministério Público. Kirchner torturou a esposa repetidas vezes com a ajuda de uma pastora evangélica (saiba mais aqui).
Janaína, que afirma ser espírita, têm atribuído a forças superiores o fato de ter conhecido Hélio Bicudo, um dos autores, juto com ela, da peça jurídica do impeachment.
Em seu discurso, afirmou que “Deus manda uma legião para cortar as asas da cobra”, em referência a Lula. Ela submeteu o pedido de impeachment a um padre amigo da família.