terça-feira, 12 de abril de 2016

Ministro do PMDB diz que impeachment é 3º turno


Demonstrando o claro racha no PMDB, o ministro de Ciência e Tecnologia, Celso Pansera, que foi alvo de pedido de expulsão do partido por ter se mantido no governo mesmo depois do rompimento da legenda, fez um discurso enfático em defesa da presidente Dilma nesta terça-feira, durante ato pela Educação no Palácio do Planalto; "Vamos ganhar de novo, e espero que desta vez respeitem o resultado", afirmou sobre a votação do impeachment no plenário, chamada por ele de "terceiro turno"; sobre o vazamento do áudio do vice e seu correligionário, Michel Temer, disse: "Se é para manter os programas sociais e se não tem crime, qual o sentido do impeachment, se não é a disputa da política pela política?"

247  O discurso do ministro de Ciência e Tecnologia, Celso Pansera, durante ato pela Educação no Palácio do Planalto nesta terça-feira 12 demonstrou o claro racha dentro do partido em relação ao impeachment. Ele questionou o motivo do impeachment se não há crime contra a presidente Dilma Rousseff e criticou ainda a fala do vice-presidente, Michel Temer, vazado ontem na imprensa.
"Vamos ganhar de novo, e espero que desta vez respeitem o resultado", afirmou Pansera sobre a votação do impeachment no plenário da Câmara, chamada por ele de "terceiro turno". Sobre o áudio de Temer, questionou: "Se é para manter os programas sociais e se não tem crime, qual o sentido do impeachment, se não é a disputa da política pela política?".
Pansera foi alvo de um pedido de expulsão de diretórios da legenda por ter decidido se manter no governo Dilma mesmo após o rompimento oficial da legenda com a presidente. Em sua fala, o ministro anunciou que ele, que é deputado, e mais dois ministros irão à Câmara votar a favor de Dilma. "Não passarão", pregou. Após sua fala, o ministro abraçou Dilma.
Confira também, Aécio Neves manda mensagem de apoio a ladrão de merendas Fernando Capez: