terça-feira, 28 de junho de 2016

Déficit recorde: com Temer, a crise sumiu mesmo é dos jornais


Fernando Brito - O nosso “jornalismo de mercado”, que prevê, todo dia, a recuperação da economia pelos “poderes mentais” da dupla Henrique Meirelles- Ilan Goldfajn vai ter trabalho para explicar o resultado das contas do Tesouro Nacional divulgados hoje.

Foi, simplesmente, o pior da história.

A receita de impostos, contribuições e arrecadações diversas caiu 9% em um ano.

O “rombo” entre receita e despesa subiu 75% e alcançou R$ 15,5 bilhões no mês.

Mesmo com uma redução de 1,8% nas despesas.

Não há o menor sinal de que este mês vá ser diferente.

Ao contrário, a moratória na dívida dos estados vai pesar significativamente nas contas.

O déficit acumulado em 12 meses passa dos R$ 150 bilhões.

Os “elogios” da nova Secretária do Tesouro ao acerto da fixação do déficit orçamentário em R$ 170 bilhões, o ue só serve para permitir que os gastos sigam fora da realidade, porque não é um déficit que tenha por finalidade aquecer a atividade econômica, melhorar os gastos sociais nem produzir qualquer elemento positivo para a sociedade.

Serve, apenas, para “não fazer marola”, que é tudo o que este governo quer até que se consume a usurpação de poder.

Mesmo que isso custe manter o país numa rota desastrosa.



Prof. Clóvis de Barros Filho fala sobre preconceito da elite contra Lula: