quarta-feira, 8 de junho de 2016

Jornalista da Globo se irrita com editorial do NYT que critica Temer


Pragmatismo - O editorial da última segunda-feira (6) do jornal norte-americano The New York Times fez críticas ao governo interino de Michel Temer e aos mecanismos legais que dificultam a condenação de políticos envolvidos em esquemas de corrupção. A publicação lembra que em menos de um mês, dois ministros de Temer já deixaram o governo em função da divulgação de conversas suspeitas relacionadas à Operação Lava Jato.

O jornal diz que Temer foi alvo de críticas ao apresentar uma equipe ministerial formada por homens brancos. “Compreensivelmente, isso irritou muitos num país racialmente diversificado como o Brasil”. O texto também lembra que sete dos novos ministros estão envolvidos no esquema de corrupção desvendado pela Lava Jato.

A suspeita de que o impeachment da presidente Dilma Rousseff tenha como pano de fundo a interrupção das investigações de casos corrupção é mencionada no texto, assim como o afastamento de dois ministros de Temer em decorrência da divulgação de gravações feitas pelo ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, envolvendo a Operação Lava Jato.

O Times diz que estes acontecimentos fizeram com Temer afirmasse publicamente que o Poder Executivo não iria interferir nas investigações da operação. “Considerando os homens com quem Temer cercou-se, isso soa falso”, diz o editorial. “Se o presidente interino quer ganhar a confiança dos brasileiros, muitos dos quais têm protestado contra o afastamento da presidente Rousseff, visto como golpe, ele e seu gabinete devem tomar atitudes significativas contra a corrupção”, completa.


Jornalista da Globo critica NYT
O editorial do The New York Times teve ampla repercussão no Brasil e no mundo. As questões abordadas pelo jornal também já haviam sido mencionadas em outras publicações internacionais de renome, que trataram com bastante desconfiança do processo que culminou no afastamento de Dilma Rousseff da Presidência da República.

Na internet, o conteúdo do Times parece ter irritado Jorge Pontual, correspondente internacional da Globo e da GloboNews. “O NYT repete erro: diz que Dilma defendia Lava Jato, omitindo as manobras de obstrução reveladas por Delcídio. Medalha da desinformação”, publicou em seu Twitter.

Um leitor atento rebateu o jornalista, relembrando que a cobertura dos veículos de comunicação internacionais têm seguido linha oposta à apresentada pela mídia tradicional brasileira: “O NYT erra, Le Monde erra, The Guardian erra, El País erra, Deutsch Welle erra. Só a Globo que apoiou a ditadura não erra”.

Não é a primeira vez que Jorge Pontual se irrita com críticas ao impedimento de Dilma ou com observações que desagradem o governo Michel Temer.

Há dois meses, o jornalista foi corrigido após publicar uma declaração sem fundamento sobre o processo de impeachment e, envergonhado, apagou o texto (relembre aqui). Na época, a manifestação de Pontual provocou espanto em Glenn Greenwald, jornalista vencedor do Pulitzer.



Confira, Requião critica indicação para Banco Central por um banqueiro do Itaú