quarta-feira, 1 de junho de 2016

Presidiário tucano vai delatar Aécio Neves?



A prisão de Nárcio Rodrigues nesta segunda-feira (30) está agitando Minas Gerais. Homem da inteira confiança de Aécio Neves no passado, o atual presidiário parece que andou se estranhando com os aspones do cambaleante chefão do PSDB. Há rumores de que ele poderia abrir o longo bico e delatar alguns tucanos - e uma famosa tucana -, revelando os podres das gestões de Aécio Neves e Antonio Anastasia. Caso não seja beneficiado pela conhecida generosidade da Justiça e permaneça muito tempo na cadeia - sua detenção preventiva é de cinco dias -, ele até pode decifrar um enigma que angustia a nação: quem "comeu" Aécio Neves?

Nárcio Rodrigues é um tucano de alta plumagem e conhece bem as maracutaias do PSDB em Minas Gerais. Ele foi presidente estadual do partido, deputados federal por cinco mandatos, ex-secretário do governador Antonio Anastasia e coordenou as duas últimas campanhas da sigla ao governo mineiro. De quebra, ajudou a eleger seu filho, o cínico Caio Nárcio, para deputado federal. Sua desgraça teve início quando o empresário português Firmino Rocha afirmou em delação premiada que pagou R$ 1,5 milhão em propina por uma obra superfaturada no Estado. Segundo o delator, parte deste suborno foi destinado ao financiamento ilegal das campanhas eleitorais do PSDB. Na época do roubo, Nárcio Rodrigues ocupava o cargo de secretário de Ciência e Tecnologia do governador Antonio Anastasia.

Ainda segundo o delator, os recursos públicos foram desviados na construção do centro de pesquisa mineiro "Cidade das Águas". Parte da grana teria sido remetida a um paraíso fiscal de Hong Kong, em 2014. Firmino Rocha revelou que a propina foi paga para que o Grupo Yser, um dos maiores de Portugal, fosse beneficiado em contrato superfaturado no esquema de aquisição de material para a "Cidade das Águas", projeto da Fundação Hidroex sediado em Frutal, cidade de Nárcio Rodrigues e sua base eleitoral. De acordo com a Controladoria-Geral de Minas Gerais, os equipamentos foram comprados sem licitação e com superfaturamento de R$ 3,8 milhões. Apesar de terem sido pagos, os equipamentos nem foram entregues, gerando prejuízo de R$ 8 milhões ao governo do Estado.

O curioso nesta sujeirada toda é a postura dos tucanos mineiros. Aécio Neves, o cambaleante, sumiu. Talvez tenha se exilado no Leblon (RJ). Já o PSDB divulgou uma nota lacônica, argumentando que desconhece os detalhes das investigações, e lavando as penas: "Se houver indícios de irregularidades, eles devem ser apurados pelos órgãos competentes... Havendo a comprovação de crimes é necessária a punição". A postura mais estranha, porém, foi a da chamada "Turma do Chapéu", o grupo de jovens que mantém íntimas ligações com Aécio Neves e com sua poderosa irmã, Andrea Neves.


Em seu site, o tucaninhos aproveitaram para fustigar o presidiário. "Nárcio Rodrigues foi presidente do PSDB-MG, comandou a desastrosa campanha de Pimenta da Veiga ao governo do estado e deixou o mandato contribuindo para a eleição de seu filho para a Câmara Federal. Mesmo sem mandato, o ex-deputado mantém cargos indicados por ele na prefeitura de Belo Horizonte". Pelo jeito, as bicadas sangram no ninho tucano. Será que o presidiário e seu cínico filho, que homenageou a "decência" do pai ao votar pelo impeachment de Dilma, vão se vingar? Quem vai "comer" Aécio Neves?


Confira também, Lula manda recado para Globo e diz que luta continua: