sábado, 25 de junho de 2016

Temer elogia Cunha: não me atrapalha em nada


247 – Na semana passada, o deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) se tornou réu novamente no Supremo Tribunal Federal, desta vez por 11 votos a zero, mas recebeu elogios do interino Michel Temer, que, ontem, concedeu uma entrevista fechada a cinco jornais.

"Falo com ele, esteve comigo há umas três semanas. Fizemos análise do quadro dramático que ele vive. Mas ele não me atrapalha em nada. Aqui no Brasil temos esse preconceito. Acham que não se pode falar com ninguém", disse Temer.

Cunha, como se sabe, é investigado por ter mantido várias contas no exterior e por ter se beneficiado de esquemas de desvios em obras públicas e em projetos financiados pelo FI-FGTS. Graças ao golpe parlamentar capitaneado por Cunha, Temer hoje é presidente provisório.

Na mesma entrevista, o interino também disse que a Lava Jato não deve se prolongar indefinidamente. "Eu acho que ela deve prosseguir enquanto houver eventuais irregularidades. Mas, num dado momento, o país não pode ficar dez anos nessa situação. Mas, evidentemente, ela deve manter-se enquanto houver irregularidades", afirmou. "As instituições estão funcionando de uma tal maneira que há pessoas presas, pessoas processadas, pessoas investigadas. E dia a dia até muitas vezes aumenta. Então, acho que isso, ao contrário, deveria dar muita confiança para dizer o seguinte: olha aqui, o Brasil está sendo, para usar uma expressão rotineira, passado a limpo."

Temer também deixou claro que aumentos de impostos virão após a eventual aprovação do impeachment no Senado; "Economia é assim. Você tem que fazer readequações, mas fa-las-á no tempo certo".


Confira também, Leandro Karnal fala sobre a ética das cotas raciais: