segunda-feira, 11 de julho de 2016

Chegou a hora de o Brasil conhecer os pecados de Serra


247 – Em artigo sobre a notícia mais importante deste domingo, a respeito das delações da OAS e da Odebrecht sobre doações ilegais feitas ao chanceler interino José Serra (leia aqui), o jornalista Paulo Nogueira, editor do DCM, decretou a morte do discurso moralista do PSDB.

"Serra é da mesma turma, ou gangue, de FHC e Aécio. Ambos não hesitaram nos últimos anos em chamar os adversários petistas de corruptos mesmo tendo um passado tenebroso. Não só o passado, aliás", diz Nogueira. "Eles nunca tiveram sequer o constrangimento moral de serem vinculados a atos corruptos. A imprensa cuidou de zelar pela imagem de pureza — fajuta — deles."

Nogueira aponta as delações da OAS e da Odebrecht como uma vitória contra a hipocrisia. "É um avanço enorme para o país que políticos do naipe de Aécio e Serra já não possam mais fazer campanhas à base do mentiroso combate à corrupção", afirma. "É como aqueles pastores conservadores que condenam selvagemente a homossexualidade e depois são pilhados numa boa gay. Pelo menos você pode saber que o discurso de ódio deles morreu."

Leia a íntegra no DCM.


Confira também: Karnal fala sobre corrupção de governos antes do PT