terça-feira, 12 de julho de 2016

PMDB surpreende com candidato à disputa e angaria apoio do PT



Jornal GGN - O resultado da escolha do candidato que disputará a Presidência da Câmara pela bancada do PMDB surpreendeu não apenas os bastidores da base de apoio, como o próprio presidente interino Michel Temer. Isso porque Marcelo Castro (PI), que foi ministro do governo Dilma, votou contra o impeachment. O deputado também não integra o rol de apoiadores do ex-presidente Eduardo Cunha (RJ).

Temer queria alcançar um nome que não tivesse candidatura própria do PMDB, mas que contasse com o apoio da bancada e do governo, além de trânsito entre os aliados de Cunha. A escolha de Castro, que somou 28 votos, mostrou que não é unâmime o apoio ao interino dentro do Congresso e do próprio partido.

Castro entrará para a disputa com o apoio do PMDB, mas também do PT, para enfrentar o palanque com a chapa do centrão, liderada por Rogério Rosso (PSD-DF), que hoje é o favorito pelos aliados do antigo presidente da Casa.


De acordo com reportagem da Folha de S. Paulo, o Palácio do Planalto recebeu a notícia com irritação, por não confiar na proximidade de Castro com o PT e a base aliada da presidente afastada, Dilma Rousseff. Nos bastidores, fala-se, ainda, que a candidatura foi alcançada graças ao empenho do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Além do PT, PCdoB e PDT reúnem-se nesta tarde para definir rumos, se lançarão candidatura própria ou apoiarão Marcelo Castro, decisão esta mais provável de ocorrer. A eleição para a Presidência da Câmara ocorre nesta quarta-feira (13).



Confira também, O que é o "Pemedebismo" - Por Marcos Nobre: