segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Para Gilmar, recurso de Lula na ONU foi ação política e “precipitada”


247 - O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes fez críticas nesta segunda-feira 1º à petição apresentada pelos advogados do ex-presidente Lula à Comissão de Direitos Humanos da ONU, em Genebra, na semana passada.

O documento impetrado pelos advogados Cristiano Zanin Martins, que representa Lula no Brasil, e o especialista em direitos humanos Geoffrey Robertson, denuncia Moro como sendo um juiz acusador e parcial (leia mais).

"No mínimo, eu diria que era uma ação precipitada, mas deve ter uma lógica no campo político, onde o presidente atua com maestria. Não me parece que seja questão de ser analisada no plano jurídico. Me parece que é mais uma ação de índole política", comentou Gilmar Mendes, em entrevista antes da reabertura dos trabalhos do Supremo nesta tarde.

Ele citou tribunais brasileiros, como Tribunal Regional Federal, o Superior Tribunal de Jusitça ou o próprio Supremo Tribunal Federal, como caminhos que deveriam ter sido procurados por Lula para criticar o magistrado de Curitiba. Ele destacou que outras pessoas estão sendo investigadas por Moro e nada reclamaram até agora.


Confira também, Fascistas pró-Temer agridem Letícia Sabatella em manifestação