segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Após jantar de luxo, Temer exonera dois ministros para garantir vitória na PEC 241


Revista Fórum - Na noite deste domingo (9), o presidente empossado Michel Temer promoveu no Palácio da Alvorada um jantar para a base aliada do governo. O evento ocorreu às vesperas da votação da PEC (Proposta de Emenda a Constituição) 241, que propõe um teto para os gastos públicos e congela investimentos em educação e saúde pelos próximos 20 anos.

Durante o jantar, Temer discursou com tom autoritário. Ṕara o presidente, “qualquer movimento ou ação corporativa que possa tisnar a medida do teto de gastos públicos não pode ser admitida”. E não foi. Hoje, segunda-feira (10), o presidente exonerou dois ministros: Fernando Coelho Filho, de Minas e Energia, e Bruno Araújo, das Cidades. Ambos são deputados e devem retornar aos seus cargos (como ministros) depois de votarem (como deputados exonerados) a favor da PEC241.

A manobra de Temer, associada a sensação de pressa que se tem diante da votação acelerada da PEC 241, mostra que o governo teme a rejeição do projeto que deve limitar os investimentos em educação e saúde. Além disso, faz crescer o sentimento de que há, por trás da pressa, receio de maior mobilização popular contra a proposta.

Ambos os ex-ministros estavam presentes no jantar, que contou, ainda, com a presença de Roberto Jefferson, ex-presidente do PTB e delator do mensalão, indiciado por fraude na empresa estatal Furnas Centrais Elétricas, em fevereiro deste ano.

A PEC 241 deve ser votade entre hoje (9) e amanhã, terça-feira (10).



Entenda como funciona esquema fraudulento da PEC 241: