terça-feira, 1 de novembro de 2016

Com Gilmar e advogada do impeachment, MBL cobra até R$ 200 por palestras


Jornal GGN - O Movimento Brasil Livre está empenhado em promover uma rodada de palestras em São Paulo com a presença de Gilmar Mendes, Janaina Paschoal e outras figuras ligadas ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Pelos ingressos, o grupo - que tem membros que agora se dedicam a ajudar Beto Richa a desocupar escolas no Paraná - cobra até R$ 200. Nas peças de divulgação, o MBL se vangloria de ter derrubado Dilma e celebra a "guinada à direita" que o governo Temer deu. As informações são da coluna de Ilimar Franco em O Globo.

MBL usa Gilmar Mendes como garoto-propaganda

Do Ilimar Franco (O Globo)

Por Amanda Almeida

O Movimento Brasil Livre (MBL) está usando o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), como garoto-propaganda de seu segundo Congresso Nacional, marcado para 19 e 20 de novembro, em São Paulo.

Um dos líderes das manifestações pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, o MBL diz que o ministro é um dos palestrantes confirmados de seu evento. Diz que os convidados tratarão "do cenário futuro e ajudarão a formular estratégias para que o MBL continue levando a frente sua luta por liberdade".

O evento é pago. Os inscritos têm a opção de participar dos dois dias (R$ 200) ou apenas de um (R$ 100). Além de Mendes, formam a lista de convidados: Janaína Paschoal (advogada que defendeu o impeachment no Congresso), Francisco Razzo, Alexandre Borges, Flávio Morgenstern, Cláudio Manoel, Bruno Garschagen, Carlos Andreazza, Marco Antônio Villa e Pedro D'eyrot.

Na apresentação do evento, o MBL atribui a ele próprio o impeachment de Dilma. "Quem diria. O grupo desacreditado de pessoas que liderou a revolta contra o PT, ainda em 2014, venceu. Tiramos Dilma Rousseff do poder e derrotamos, com muita garra, o 'mainstream' midiático brasileiro", diz. A tradução de 'mainstream' é "pensamento dominante".

O movimento diz ainda que o país já mudou com o governo Temer. "De um país que rumava para destino similar a de seus vizinhos, temos agora uma nação fiscalmente responsável que debate reforma da previdência, teto de gastos e reforma trabalhista. Uma nação que não tem medo de encarar de frente uma agenda liberal e que continua alerta e vigilante no combate à corrupção", descreve.

E, ainda, se gaba de conquistas nas urnas. "Fomos, assim, a iniciativa liberal mais exitosa nestas eleições, elegendo 9 vereadores e 6 suplentes. Destes, 3 venceram em capitais: São Paulo, Porto Alegre e Aracaju", comemora. Apesar da citação a Aracaju, o prefeito eleito daquela capital foi Edvaldo Nogueira, do PCdoB.


Confira também, ‘Quem votar contra a educação estará com as mãos sujas por 20 anos’