quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Estadão diz que registros telefonicos de delator apavoram Planalto


Para mostrar a potência da munição que Janot tem para disparar sobre Michel Temer, ou para obriga-lo a entregar o poder de fato, da Coluna do Estadão, hoje:

O Planalto está apreensivo com um ponto do anexo de delação do ex-executivo da Odebrecht Cláudio Melo. No capítulo em que narra suposto pedido de dinheiro pelo presidente Michel Temer e a entrega de valores no escritório de José Yunes, assessor da Presidência, Melo diz que seu relato acompanha “elementos relevantes” de prova, como “ligações telefônicas”. Ressalta que “os dados de corroboração são fortes e permitem que a investigação vá bem além daquilo que o simples acesso ao sistema (de pagamentos) da empreiteira pode permitir”.

É nítido que o MP voltou a mangueira por onde sai o vazamento para o Planalto.

Quando e para quem será depois, os procuradores, novos senhores do Brasil, vão verificar a conveniência e a oportunidade.

Confira também, Dilma fala de Aécio, 
o Mineirinho recebeu R$ 15 milhões da Odebrecht