terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Globo não quer que você vote para presidente

Antonio Cruz/ Agência Brasil

247 – A Globo, que apoiou o golpe militar de 1964 e só pediu desculpas 50 anos depois, também foi peça decisiva no golpe parlamentar de 2016, que afastou a presidente Dilma Rousseff sem crime de responsabilidade e instalou Michel Temer no poder.

Agora, a Globo já pressente a inevitável queda de Michel Temer, mas prepara o chamado "golpe dentro do golpe" – ou seja, a eleição de um presidente biônico por um Congresso em que mais de 200 parlamentares são investigados.

Em editorial publicado nesta terça-feira, O Globo explicita sua posição: é contra eleições diretas em caso de queda da "pinguela". Ou seja: o jornal da família Marinho não quer que você vote para presidente, embora 63% dos brasileiros, segundo o Datafolha, defendam a renúncia imediata de Temer com eleições diretas (leia aqui). Num levantamento Paraná Pesquisas, 91% são contra a escolha de um presidente pelo Congresso (leia aqui).

Especula-se, em Brasília, que a Globo tenha dois possíveis candidatos para a eleição indireta: o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e a presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia. Numa escolha pelo voto, Lula desponta em primeiro em todos os cenários (leia aqui).

Vídeo emocionante: desculpa, Dilma!