segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Requião: Congresso acusado de vender MPs não tem moral para votar PEC


Paraná 247 - O senador Roberto Requião (PMDB-PR) bateu duro no Senado após diversos parlamentares serem citados na delação premiada do ex-diretor da Relações Institucionais da Odebrecht Cláudio Melo Filho. Segundo o parlamentar, "as mesmas suspeitas com que o delator da Odebrecht carimbou a aprovação de algumas Medidas Provisórias neste plenário".

"Como é possível, senhoras senadores, senhores senadores, como é possível que, depois das revelações que há dias inundam o noticiário, venhamos aqui e votemos favoravelmente à PEC 55, cem por cento dirigida a beneficiar os donos da dívida pública e prejudicar os cidadãos comuns?", questionou.

Requião: Senado é suspeito para aprovar reformas

Como é possível, depois do testemunho do senhor Cláudio Melo Filho sobre os jabutis apensados às Medidas Provisórias, jabutis gordamente remunerados, como é possível votar a favor de uma reforma da Previdência elaborada a quatro mãos com os bancos e com a previdência privada e que, como a PEC 55, sacrifica obscenamente os trabalhadores?", continuou Requião.

Segundo Requião, o Senado "deve tão simplesmente abster-se de votar medidas antipopulares, antidemocráticas e antinacionais. É o que proponho: o cancelamento das votações da PEC 55, da securitização da dívida pública e da reforma da Previdência". "Não há outra saída. A não ser que a maioria desta Casa e a Presidência da República decidam correr o risco de enfrentar o povo na rua", disse.


Confira também. Não há deficit previdenciário! Não há rombo da previdência! O que existe é um superavit previdenciário! Chocante? Pois é, Ciro Gomes te fala a verdade.