segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Citado em delação, Eunício Oliveira faz acordo para ser eleito com folga

Renan Calheiros (PMDB-AL, esq.), afastado do comando do Senado, e Eunício Oliveira (PMDB-CE)

Apesar da acusação de ter recebido recursos da Odebrecht em troca da aprovação uma medida provisória, o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) deve ser eleito com tranquilidade no próximo dia 1º para comandar o Senado. Com apoio de partidos do governo e da oposição, o senador diz a aliados não ter mais dúvidas sobre a vitória.


Eunício é citado em delações premiadas da Lava Jato, acusado de receber R$ 2,1 milhões da Odebrecht em troca da aprovação de uma medida provisória. Ele ainda não responde a inquérito no STF (Supremo Tribunal Federal) e obteve uma certidão de "nada consta" da corte. 


Em conversas reservadas, o senador avaliava que apenas a Lava Jato poderia atrapalhar sua candidatura. O provável atraso no andamento da operação, por causa da morte do ministro Teori Zavascki, diminui o risco de divulgação de informações que poderiam prejudicar sua eleição, segundo aliados.


Confira também, Aécio Neves: O vídeo que está chocando a internet