terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Temer não dará um pio sobre massacre de Manaus

Beto Barata/Reuters

247 - Embora até a ONU esteja cobrando explicações do Brasil sobre o massacre ocorrido no Complexo Penitenciário Anísio Jobim, o Compaj, em Manaus, que provocou a morte de 56 pessoas, Michel Temer decidiu que não falará a respeito.

A informação é do colunista Lauro Jardim, do Globo. Leia a nota:

Temer não falará sobre rebelião

Foram 56 mortos na rebelião de ontem e Michel Temer calou-se. Calado ficou e calado ficará — exceto se os problemas se espalharem pelo Brasil.

O Planalto avalia que, por enquanto, o problema está restrito a Manaus. E, por isso, não cabe pronunciamento do presidente.

Temer chegou a cogitar a falar depois que o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, fizesse um diagnóstico do caso, mas mudou de ideia e vai fingir que o governo não tem nada a ver com o ocorrido.

De acordo com Moraes, mais da metade dos mortos não tinha ligação com qualquer facção criminosa.


Confira também, Senador Humberto Costa é agredido por fascista em livraria