terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

As 19 perguntas de Cunha para Temer, que revelam corrupção e os jornais não publicaram


Por Fernando Brito, no blog Tijolaço:


É impressionante como, por conveniente seletividade, a grande imprensa simplesmente ignora tudo o que pode ser a mais explosiva revelação dos escândalos políticos em que o Brasil mergulho: as conexões entre Eduardo Cunha, o agente do impeachment, e Michel Temer, seu beneficiário, mesmo depois de o primeiro ter fornecido, publicamente, os temas e o roteiro – o que, no jornalismo, chamamos pauta – para que tudo seja investigado.




Perguntas que brotam das perguntas que Eduardo Cunha dirige a Temer para que – se o juiz Vallisney Oliveira, da 10ª Vara Criminal Federal de Brasília não fizer como Sérgio Moro, vetando aquilo que possa ser (palavras dele) ameaça ao atual presidente.

Confira também, A Globo escondeu Transposição do São Francisco

Brotam, mas ninguém se aventura a fazê-las.

A primeira é a indicação de Moreira Franco para a Caixa, quando o PMDB da Câmara passou a integrar o Governo Lula. Se foi pedido de Michel Temer não é coisa que só ele possa responder. Dirigentes da Caixa, do Ministério da Fazenda e e da própria Caixa, à época, podem ser ouvidos para saber se corria a informação de que era pedido de Michel Temer. Ao que parece, ninguém os procurou sobre isso.

Depois, a misteriosa Érica, que teria recebido, junto com Moreira Franco, oferecimento de vantagem indevida decorrentes de liberação de recursos do FGTS. Há uma Érica, Érica Ferraz, ex-namorada de Michel Temer e mãe de um de seus filhos – nascido em Londres, para onde ela foi já grávida. Como ela é uma das coordenadoras de uma conta da Secretaria de Comunicação da Presidência da República, paga por uma empresa contratada, não será difícil , lá mesmo no Palácio do Planalto, achá-la e perguntar-lhe se sabe algo a respeito.

E as reuniões com André de Souza, do conselho curador do Fundo, aconteceram? De novo, não é só Michel Temer que pode relatar, há o próprio André, mas até agora, 72 horas após a divulgação das perguntas de Eduardo Cunha, não teve uma matéria sequer para dizer que se recusou a comentar.

Menos ainda Fábio Cleto, que foi para a Caixa a partir de uma indicação de um lobista, Lúcio Funaro, que se pensava exclusivamente ligado a Cunha e agora sabe-se igualmente logado a Geddel Vieira Lima, homem de confiança de Temer.

O rol das perguntas de Cunha é pauta para uma redação inteira. Não é uma apuração fácil para blogueiros, a quem as fontes atuais do Governo não vão dar bola e que n]ao têm condições de se deslocar a Brasília e abordar diretamente as pessoas. Mas para os grandes jornais, é e poderia estar sendo feita há três dias.O fato de Cunha se tratar de um bandido não torna menos relevantes as informações que tenha a dar ou que permita descobrir. Afinal, a Lava jato não foi construída sobre o que disseram ladrões?

As perguntas de Cunha.


1 – Em qual período o senhor foi presidente do PMDB?
2 – Quando da nomeação do senhor Moreira Franco como vice-presidente de
Fundos e Loteria da Caixa Econômica Federal, o senhor exercia a presidência do PMDB?
3 – O senhor foi o responsável pela nomeação dele para a Caixa? O pedido foi feito a quem?
4 – Em 2010, quando o senhor Moreira Franco deixou a CEF para ir para a coordenação da campanha presidencial como representante do PMDB, o senhor indicou Joaquim Lima como seu substituto?
5 – O senhor conhece a pessoa de André de Souza, representante no Conselho dos Trabalhadores no FI/FGTS à época dos trabalhadores?
6 – O senhor fez alguma reunião para tratar de pedidos para financiamento com o FI, junto com Moreira Franco e André de Souza?
7 – O senhor conhece Benedito Júnior e Léo Pinheiro?
8 – Participou de alguma reunião com eles, junto com Moreira Franco para doação de campanha?
9 – Se a resposta for positiva, estava vinculada a alguma liberação do FI?
10 – André da Souza participou dessas reuniões?
11 – O senhor conheceu Fábio Cleto?
12 – Se sim, o senhor teve alguma participação em sua nomeação?
13 – Houve algum pedido político de Eduardo Paes, visando à aceleração do projeto Porto Maravilha para as Olimpíadas?
14 – Tem conhecimento de oferecimento de alguma vantagem indevida, seja a Érica ou Moreira Franco, seja posteriormente para liberação de financiamento do FI/FGTS?
15 – A denúncia trata da suspeita do recebimento de vantagens providas do consórcio Porto Maravilha (Odebrecht, OAS e Carioca), Hazdec, Aquapolo e
Odebrecht Ambiental, Saneatins, Eldorado Participações, Lamsa, Brado, Moura Debeux, BR Vias. O senhor tem conhecimento como presidente do PMDB até 2016 se essas empresas fizeram doações a campanhas do PMDB. Se sim, de que forma?
16 – Sabe dizer se algum deles fez doação para a campanha de Gabriel Chalita em 2012?
17 – Se positiva a resposta, houve a participação do senhor? Estava vinculada à liberação desses recursos da Caixa no FI/FGTS?
18 – Como vice-presidente da República desde 2011, teve conhecimento da participação de Eduardo Cunha em algum fato vinculado a essa denúncia de cobrança de vantagens indevidas para liberação de financiamentos do FI/FGTS?
19 – Joaquim Lima continuou como vice-presidente da Caixa Econômica Federal em outra área a partir de 2011 e está até hoje, quem foi o responsável pela sua nomeação?