sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Globo, que perseguiu Lula e sua família, finge não ver propinas a Aécio


247 – Capa da Folha de S. Paulo nesta quinta-feira, por ter sido delatado como chefe de um esquema de propinas na maior obra de Minas Gerais (leia mais aqui), que envolveu superfaturamento e comissões ilícitas de 3%, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) continua blindado pela família Marinho, que comanda o maior grupo de comunicação do País.


Além de não ter sido citado no Jornal Nacional (leia mais aqui), o caso Aécio não mereceu uma única linha do jornal O Globo nesta sexta-feira.

É uma postura bem diferente da que foi adotada pela família Marinho em relação ao ex-presidente Lula e seus familiares, que foram alvo até de notícias falsas, das quais a Globo teve que se retratar, nos últimos dois anos. Numa delas, a Globo anunciou que o lobista Fernando Baiano havia revelado pagamentos ilícitos a um dos filhos de Lula – o que era mentira.



Além disso, o caso Aécio, que envolve propinas de 3% numa obra de R$ 2,1 bilhões, com comissões pagas a Oswaldo Borges da Costa, seu tesoureiro informal, é infinitamente mais grave do que a acusação de que Lula e a ex-primeira-dama se beneficiaram de reformas de um suposto triplex, que não chegaram a comprar.

Confira também, Aécio Neves: O vídeo que está chocando a internet

Esta seletividade da mídia, em especial do grupo Globo, tem como objetivo provocar um mal maior: a seletividade do Judiciário, com perseguições aos inimigos políticos, e proteções aos amigos.