quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Indicação de Aécio para a Justiça, Velloso deu parecer defendendo o famoso aeroporto em Cláudio

Carlos Velloso e Aécio Neves

Por Kiko Nogueira - Assim como a autuação de Alexandre de Moraes no caso do hacker de Marcela Temer foi decisiva para sua indicação ao STF, a nomeação do novo ministro da Justiça, Carlos Velloso, se deve a uma parceria fecunda com Aécio Neves.


Velloso foi indicado pelo mineiro com a óbvia anuência do PSDB, principal aliado do PMDB no governo.

Ele advoga para Aécio em dois inquéritos que o neto de Tancredo responde no STF. São desdobramentos da Lava Jato, cuja relatoria é de Gilmar Mendes.

Não cobra honorários. “Fui amigo de Tancredo Neves, avô de Aécio, e de Aécio Cunha, pai de Aécio”, disse ao Estadão.


“E sou amigo de Aécio desde os seus 22 anos, quando o conheci, em Belo Horizonte. Sou seu advogado nesses dois casos, em razão dessa amizade. Mais até como conselheiro”.

Em 2014, Velloso quebrou um belo galho para Aécio.



Quando estourou o escândalo da construção de um aeroporto público em Cláudio, nas terras do tio de Aécio, o tucano se utilizou de dois pareceres: um de Carlos Ayres Britto, outro de Carlos Velloso.

Este último enviou o documento diretamente de Portugal. Intitulou-o “breve opinião legal”. Tinha apenas quatro parágrafos. Suficientes para a conclusão era de que o “procedimento” para a obra foi “correto”.


Confira também entrevista completa abaixo que Aécio Neves deu ao Poder 360:


Segundo o site Jota, a campanha aecista gastou R$ 5,3 milhões com advogados. Contava com a consultoria de dois juízes aposentados do Supremo, os supracitados Velloso e Ayres Britto.

Cada um deles recebeu pouco mais de 55 mil reais pelo parecer em defesa do aeroporto em Minas.

Caso assuma a pasta, Carlos Velloso terá de deixar de advogar. É o nome certo no ministério para quem acredita em duendes e em almoço grátis.


O parecer de Velloso sobre o aeroporto que Aécio fez nas terras do tio