quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Lula processa revista Isto É por matéria mentirosa e sensacionalista


Os advogados que representam o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciaram nesta quinta-fweira que foram à Justiça contra a revista Isto É, os jornalistas Sérgio Pardellas e Germano Oliveira e o químico Davincci Lourenço de Almeida.



O que motivou a ação de reparação por danos morais é a reportagem publicada na última semana, "Levei mala de dinheiro para Lula". Nela, a revista ouviu uma pessoa sem equilíbrio ou credibilidade, com uma história maluca, sem checar ou ouvir o outro lado, jogando declarações sem base ou prova em sua capa para tentar difamar o ex-presidente.


Leia, abaixo, a íntegra da nota dos advogados de Lula sobre o assunto. 
     
"Na condição de advogados do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, propusemos hoje (23/02/2017) ação de reparação por danos morais contra a Editora Três Ltda. (em recuperação judicial), Sérgio Pardellas, Germano Oliveira e Davincci Lourenço de Almeida em decorrência da reportagem "Levei mala de dinheiro para Lula", texto mentiroso e sensacionalista publicado na IstoÉ (edição nº 2462 de 22/2/2017). A ação pede a condenação solidária dos réus ao pagamento de indenização no valor de R$ 1 milhão.

Confira também, Alckmin faz propaganda com obra de Lula no Rio São Francisco

Os demandados se acumpliciaram para produzir essa infame e leviana acusação sobre uma "mala de dinheiro” recebida por Lula em troca de suposta ajuda para a construtora Camargo Correia “fechar” um contrato com a Petrobras. Tal fato jamais ocorreu. O mais grave é que a reportagem fiou-se na fantasiosa versão de Davincci Lourenço de Almeida, pessoa cujo histórico de vida contempla outros atentados contra a honra alheia.

Cabe registrar que, no período da acusação formulada pelos demandados, Lula não exercia qualquer cargo público e passava por um intenso tratamento de saúde, buscando a cura de um câncer.

IstoÉ foge à responsabilidade de uma imprensa séria, preocupada em apurar a verdade dos fatos. Mais do que isso, afronta os direitos à personalidade que são assegurados a Lula pela Constituição Federal.​ 

Cristiano Zanin Martins & Roberto Teixeira"