quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Marcelo Odebrecht preso por pagar propinas, por que os que receberam estão soltos?

Resultado de imagem para Temer Aécio Serra

O nome do presidente Michel Temer é citado 43 vezes na delação de Cláudio Melo Filho, ex-vice-presidente de Relações Institucionais da Odebrecht.



Além de Temer, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, é mencionado 45 vezes e Moreira Franco, secretário de Parceria e Investimentos do governo Temer, 35.

Clique aqui para ler a íntegra da delação de Claudio Melo Filho em pdf


O líder do governo no Congresso, Romero Jucá (PMDB-RR), apontado como o “homem de frente” das negociações da empreiteira no Congresso, tem 105 menções no relato

O ex-ministro Geddel Vieira Lima aparece em 67 momentos. Geddel pediu demissão recentemente após denúncias de ter pressionado o então ministro da Cultura, Marcelo Calero, para que obra embargada em Salvador fosse liberada pelo Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (Iphan).


Confira também, Aécio Neves: O vídeo que está chocando a internet 

Em documento preliminar da delação, Melo Filho afirma ter participado de jantar com Michel Temer, onde ficou acertado que a empresa pagaria R$ 10 milhões ao então vice-presidente, sendo que R$ 4 milhões foram recebidos por Eliseu Padilha. Segundo o delator, ao longo dos anos, foram feitos pagamentos de mais de R$ 22 milhões para o senador Romero Jucá, que posteriormente distribuía os valores ao PMDB.