domingo, 19 de fevereiro de 2017

Unidos, rivais peitam a Globo e acabam barrados pela federação paranaense.

Atlético-PR e Coritiba preferiram não realizar a partida e enfrentaram o modelo tradicional do futebol

Coritiba e Atlético protagonizaram um episódio corajoso na tarde deste domingo. Decididos a falar não à Rede Globo, os clubes optaram por inovar no modelo de transmissão do clássico: através do canal do Youtube.


Isso porque ambas as diretorias não concordaram com a proposta financeira feita pela emissora. Por conta disso dois maiores clubes do futebol paranaense não fecharam o acordo, e anunciaram o clássico cuja transmissão se daria pelas redes sociais.


A transmissão atraiu cerca de 100 mil pessoas simultaneamente, distribuídas entre os dois canais dos clubes nas redes sociais. Porém, com tudo pronto para o confronto, a FPF - Federação Paranaense de Futebol proibiu a realização da partida.


Confira também, Leonardo Stoppa tira onda com enquete de Flávio Bolsonaro 

Para a entidade, a partida só aconteceria caso a transmissão fosse interrompida. Os clubes, no entanto, se negaram a atender o pedido e acabaram protagonizando um episódio inédito no futebol brasileiro.

"Essa decisão vai servir para o resto dos tempos, quando Atlético e Coritiba iniciaram um processo silencioso e dizer não. Nós temos o direito de dizer não. E fica o alerta para os demais presidentes de clubes, que sigam o exemplo de Atlético e Coritiba: vamos dizer não", afirmou o presidente do Atlético-PR, o presidente Luiz Sallim Emed, após confirmar a não realização da partida.

De mãos dadas, os jogadores voltaram dos vestiários juntos, cumprimentaram os presidentes de ambos os clubes e unidos, aplaudiram os torcedores que lotaram a Arena da Baixada. Os torcedores se retiraram do estádio com a confirmação do não acontecimento da partida, mas aplaudiram os jogadores e os dirigentes.