sexta-feira, 10 de março de 2017

Estudo da USP classifica erroneamente Pragmatismo Político como site anônimo

Resultado de imagem para pragmatismo politico

Um levantamento feito pela Associação dos Especialistas em Políticas Públicas de São Paulo (AEPPSP), com base em critérios de um grupo de estudo da Universidade de São Paulo (USP), identificou os maiores sites de notícias do Brasil que disseminam informações falsas, não-checadas ou boatos pela internet, as chamadas notícias de "pós-verdades".


O estudou da AEPPSP utilizou os critérios do "Monitor do Debate Político no Meio Digital" - criado por pesquisadores da USP -, uma ferramenta que contabiliza compartilhamentos de notícias no Facebook e dá uma dimensão do alcance de notícias publicadas por sites que se prestam ao serviço de construir conteúdo político "pós-verdadeiro" para o público brasileiro.

Não são sites de empresas da grande mídia comercial, tampouco veículos de mídia alternativa com corpo editorial transparente, jornalistas que se responsabilizam pela integridade das reportagens que assinam, ou articulistas que assinam artigos de opinião.

Confira também, Como o mentiroso (Aécio Neves) é desmascarado

Porém o estudo classifica o site Pragmatismo Político como anônimo, o que desmente um de seus editores, verifique a resposta:


Enfrentamos sérias dores de cabeça por conta desta pauta em janeiro deste ano.

Na época, ameaçamos entrar com uma ação judicial por calúnia e difamação contra a Associação que inicialmente elaborou a lista, já que não havia razão para que lá estivéssemos.

Depois do nosso contato, a Associação apagou a lista e divulgou uma nota de esclarecimento.