quarta-feira, 5 de abril de 2017

Liberou a bandalheira: Carmén Lúcia libera propaganda a favor do fim das aposentadorias de Temer e PSDB


Tijolaço - A Justiça de 1ª instância vetou; a de 2ª instância confirmou a proibição.


Mas o Supremo Tribunal amigo liberou a propaganda do governo em favor da retirada de direitos de aposentadoria, por liminar da ministra Cármem Lúcia, sob o argumento de que não poder fazê-la tirava dele “os meios necessários para divulgação da proposta de reforma, sua motivação e repercussões”.




O curioso é que, vivendo no mundo da quinta-essência jurídica, a ministra certamente desconhece que, pela mídia e pelas entidades patronais, com seus recursos abastados, a propaganda em favor das reforma não só existe como já é sufocante.

Confira também, Aécio Neves: O vídeo que está chocando a internet

Não é preciso grande imaginação para que se imagine se o Supremo permitiria que os governos de antes, de Lula ou Dilma, fizessem publicidade sobre a “premente necessidade” de dar aumento ao salário mínimo ou de fazer, pela lei, a obrigatoriedade do controle brasileiro sobre o pré-sal, tema de igual importância.

Evidente que não, porque Suas Excelências se portam como algozes do povão, como já o fizeram no caso da desaposentação, que daria aos desgraçados que se aposentam e continuam trabalhando alguma melhora nos proventos. Isso é um risco para o país, embora pagar auxílio moradia para dezenas de milhares de juízes e promotores não seja senão a justa paga que merecem.

Todos, como ela o fará e Michel Temer já o fez, levando polpudas pensões para seu descanso, num vampirismo que drena o sangue do país.

A propaganda contrária à reforma, claro, não tem como ser feita, senão na rua, com nossa mobilização.