quinta-feira, 6 de abril de 2017

Senador que vai conduzir a Reforma da Previdência, deve milhões para Previdência


Congresso em Foco - Empresa ligada ao presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), a Confederal Vigilância e Transporte de Valores tem ao menos R$ 8,478 milhões em dívidas previdenciárias com a União, segundo levantamento feito pela reportagem no site da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional. O total é referente a três débitos com a União.


Como presidente do Senado, caberá ao peemedebista conduzir a votação das reformas trabalhista e da Previdência na Casa.




A maior dívida previdenciária da Confederal é referente à unidade de Brasília e chega a R$ 5,943 milhões. Os outros dois débitos são de R$ 1,479 milhão, no Rio de Janeiro, e de R$ 1,054 milhão, em Aparecida de Goiânia (GO). 

Confira também, Aécio Neves: O vídeo que está chocando a internet

Todos os três débitos estão inscritos na Dívida Ativa da União. Segundo o Mistério da Fazenda, porém, não são divulgados os débitos que estão sendo parcelados pelo devedor – o que pode aumentar o tamanho da dívida da Confederal com o Estado brasileiro.

À frente do Congresso Nacional até 2018, Eunício terá a incumbência de conduzir a votação das reformas trabalhista e da Previdência no Senado.

Atualmente, Eunício de Oliveira está afastado do comando administrativo da Confederal. A empresa está nas mãos do sobrinho do senador, Ricardo Lopes Augusto. Na terça-feira (21) a sede da organização foi alvo da Operação Satélites, ligada à Lava Jato com base nas delações da Odebrecht.

(…)