quarta-feira, 21 de junho de 2017

Chico Pinheiro sobre Marta: saiu do PT por causa da corrupção e hoje defende Temer

Marta Suplicy

Em 26 de setembro de 2016, data de filiação de Marta Suplicy ao PMDB. Nela, a candidata à Prefeitura de São Paulo aparece de mãos dadas com o presidente Michel Temer em uma corrente que ainda incluía Renan Calheiros e Eduardo Cunha. 



Quando é compartilhada, a imagem invariavelmente vem acompanhada de algum comentário que ironiza o fato de Marta ter saído do PT se dizendo constrangida e indignada com as investigações de esquemas de corrupção para se aliar ao PMDB de Cunha – recentemente cassado pela Câmara dos Deputados.


Há meses, em toda entrevista que dá, a candidata é questionada sobre o assunto. Em conversa com o EL PAÍS, em junho, disse que a diferença entre PT e PMDB é que o primeiro tem na corrupção um projeto de perpetuação no poder, enquanto o segundo tem algumas pessoas investigadas, mas “não tem essa canalização para uma permanência no poder”. Também disse que para seus eleitores mais cativos _ seu recall na periferia da cidade é seu principal capital político _pouco importa que ela tenha trocado de lado no impeachment de Dilma Rousseff.