quarta-feira, 7 de junho de 2017

Gilmar tenta defender Temer e toma humilhante invertida de Hernan no TSE


O ministro Gilmar Mendes, com a velha e conhecida pose de magistrado dublê de pecuarista mato-grossense, se deu muito mal nesta terça-feira (6) no embate com o relator do processo que pode levar à cassação da chapa Dilma Rousseff e Michel Temer.


Quando Herman Benjamin fazia ainda a introdução de suas considerações, o ministro do STF, ora no exercício do cargo de presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), aparteou para fazer uma desnecessária observação ‘Temos uma situação singular, que não é comezinha, que é a impugnação de uma chapa presidencial’.


Na sequência, após citar as inúmeras cassações que o TSE já fez envolvendo parlamentares, vereadores e prefeitos, deu o alerta que pretendia, dizendo que o TSE estaria ‘cassando mais do que a ditadura’ e, não satisfeito, ainda complementou, asseverando que ‘mais importante que o resultado do julgamento’ era conhecer como funcionam as campanhas presidenciais.

Na resposta ao dramático apelo, o ministro Herman Benjamin foi fulminante e cirúrgico, desmontando a argumentação de Gilmar.

‘As ditaduras cassavam e cassam quem defende a democracia. O TSE cassa aqueles que vão contra a democracia. É uma enorme diferença’.

Atordoado, o presidente da Corte ainda retrucou: ‘De qualquer forma, nós temos que ser moderados’.

Hernan retomou e calou Gilmar: ‘a soberania do voto popular deve ser protegida das infrações’.