terça-feira, 11 de julho de 2017

Dilma prega resistência contra violação de direitos trabalhistas


247 - A presidente deposta pelo golpe parlamentar, Dilma Rousseff, que culminou na crise política e econômica que vive hoje o Brasil, manifestou sua "solidariedade às corajosas senadoras e senadores que interromperam violação aos direitos dos trabalhadores".


Há horas, senadoras da oposição tomaram a mesa da presidência do Senado para impedir a votação da reforma trabalhista proposta pelo governo Temer na Casa, que estava prevista para esta terça-feira 11.

"Resistência! Direto do Senado, parlamentares da oposição ocupam mesa p/ impedir votação da reforma trabalhista", escreveu Dilma no Twitter. "Toda solidariedade às corajosas senadoras e senadores que interromperam violação aos direitos dos trabalhadores#NãoAReformaTrabalhista", postou em seguida.


Depois que as senadoras sentaram à mesa, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), apagou as luzes do plenário e suspendeu a sessão. As luzes já foram acesas de volta, mas ainda não foi feito acordo para que a votação ocorra.