quarta-feira, 19 de julho de 2017

Ex-namorada de Eduardo Bolsonaro vai à delegacia após ser ameaçada

ex-namorada eduardo bolsonaro Patrícia



Revista Fórum A jornalista Patrícia Lélis registrou na Delegacia da Mulher de Brasília, na noite desta terça-feira (17), um boletim de ocorrência de ameaça e injúria contra o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSC-RJ).



Lélis, que é ex-namorada de Bolsonaro, conta que foi xingada, ameaçada e intimidada pelo parlamentar depois da resposta que deu à uma postagem em que ele tenta desqualificá-la atacando o feminismo (relembre aqui).

“Eu começo a ‘entender’ a importância da figura masculina na vida de uma mulher quando minha ex-namorada que já se declara feminista é vista em uma balada LGBT acompanhada de um médico cubano, usando uma roupa vulgar e, como se não bastasse, rebolando até o chão. E ainda posta isso na internet, como se fosse uma atitude louvável. Lembrando que antes do feminismo ela andava com roupas discretas, não rebolava até o chão, e namorava comigo. ;) #FeminismoÉDoença”, escreveu Bolsonaro em seu perfil pessoal no último dia 11.


Patrícia, então, respondeu à postagem do ex-namorado contando sobre o relacionamento abusivo que tinha com ele. “Foram 3 anos e 8 meses em um relacionamento abusivo. Eu estou percebendo que tudo na vida evolui, menos você”, escreveu a jornalista em sua postagem de resposta.

Irritado com a má repercussão da postagem, Eduardo Bolsonaro gravou um vídeo e divulgou em sua fanpage política para dizer que tudo aquilo era mentira.

A partir daí, Patrícia passou a ser ameaçada e, inclusive, perseguida por apoiadores do parlamentar. A gota d’água para que ela resolvesse registrar queixa, no entanto, foi o fato de o próprio deputado federal ter começado a ameaçá-la e intimidá-la por meio de mensagens privadas.

“Procurei a polícia, mostrei as mensagens de ameaça que partiram do celular pessoal do Deputado Eduardo Bolsonaro, e registrei o boletim e ocorrência na Delegacia da Mulher. Como é de se esperar, logicamente o Deputado vai negar, vai tentar me desmoralizar, pessoas vão vim aqui e vão tentar me ofender com palavras de baixo calão e afins, mas já deixo claro a essas pessoas que eu não vou me calar”, disse Patrícia que, em 2016, denunciou o pastor Marco Feliciano por abuso sexual.

No Facebook, a jornalista postou um relato detalhando a queixa que fez contra Bolsonaro junto com uma foto do boletim de ocorrência. Confira abaixo.

Olá pessoas.

Infelizmente ainda tenho que voltar aqui para tratar do assunto “Eduardo Bolsonaro”.

Pois é, como previsto , após a polêmica do dia 11/07/17, voltei a sofrer ataques machistas de haters, e de pessoas simpatizantes do então deputado, enfim, fascistas seguidores de Eduardo e sua turma, e como se não bastasse: Uma ameaça direta do próprio.

Ocorreram desde Injúrias pelas redes, ameaças e até perseguições pessoais em minha academia e local de estudo, que colocaram não só minha integridade física em risco ,mas que me levaram a sair de Brasília por uns dias.

Como é peculiar aos políticos moralistas, ele tentou negar e, sair por cima ,porém, se doeu tanto, que fez um vídeo resposta! Ocorre que, se nas postagens públicas o Deputado agiu como bom moço, desdenhando e negando tudo , como de costume eles nunca se responsabilizam por nada, e muito menos assumem a culpa de algo. Porém nas mensagens privadas o comportamento foi o de sempre: Tentar abafar o caso com grosserias machistas, injúrias diversas e várias ameaças com o intuito de tentar me intimidar ou calar minha voz.

Bem, eu já havia dito que sou forte, livre e que não tenho medo dele e de mais ninguém. E sim, eu vou falar ao mundo tudo que uma turma moralista é capaz de fazer as pessoas.

Quando a denuncia de um abuso envolvendo um então pastor e deputado do mesmo partido veio a publico, diversas pessoas me questionaram o motivo ao qual eu não denunciei logo. Quem fala isso, não tem a noção do quanto é difícil denunciar um agressor, ainda mais se esse agressor se encontrar “protegido” por pessoas que os defendem com unhas e dentes, acreditando que realmente são donos da boa moral.

Porém desta vez, resolvi agir de forma diferente, pois infelizmente já estou aprendendo como as coisas funcionam com esse tipo de pessoa. Procurei a polícia, mostrei as mensagens de ameaça que partiram do celular pessoal do Deputado Eduardo Bolsonaro, e registrei o boletim e ocorrência na Delegacia da Mulher.

Como é de se esperar, logicamente o Deputado vai negar, vai tentar me desmoralizar, pessoas vão vir aqui e vão tentar me ofender com palavras de baixo calão e afins, mas já deixo claro a essas pessoas que eu não vou me calar.

Como mulher eu afirmo que a sociedade machista tenta todos os dias desmoralizar o feminismo justamente por não querer que as mulheres escolham enfrentar seus agressores e se sintam ameaçadas. Há pouco mais de um ano eu negava o feminismo e me calei perante um abuso, pensava que não poderia denunciar um “homem com poder”. Hoje eu afirmo que tudo que o feminismo me trouxe foi: liberdade e principalmente CORAGEM.

Mulheres, não se deixem ser calar.

Agora, que a polícia investigue e que e a Justiça seja feita contra todos aqueles que ainda não entenderam que as mulheres estão cada vez mais livres e fortes na luta contra todo tipo de machismo.

Na luta contra todo tipo de machismo e opressão.