quarta-feira, 5 de julho de 2017

Fechando o cerco, Padilha e Moreira Franco podem ser presos


Do Estadão - Em relatório encaminhado ao Supremo Tribunal Federal (STF), a Polícia Federal pediu que o presidente Michel Temer e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência) sejam incluídos no rol de investigados de um inquérito já instaurado contra o PMDB na Câmara dos Deputados no âmbito da Operação Lava Jato. 


O processo em questão possui atualmente 15 investigados, entre eles o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o ex-ministro Henrique Eduardo Alves, o doleiro Lúcio Funaro, o líder do governo no Congresso, André Moura (PSC-SE), o deputado federal Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), a ex-prefeita Solange Almeida e o lobista Fernando Falcão Soares, o Fernando Baiano, um dos delatores da Operação Lava Jato.


Neste inquérito, que começou no STF e baixou para Curitiba – de onde sairá, se o Supremo aceitar o pedido – Eduardo Cunha é acusado de receber US$ 5 milhões oriundos dos contratos da compra de navios-sonda para operar em países da costa da África. Solange, que era deputada, foi denunciada por “assinar” por ele dois requerimentos de informações na Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara destinados a forçar o pagamento das propinas pelos representantes brasileiros da Samsung Heavy Industries por conta da compra de navios-sonda da Petrobras.