segunda-feira, 10 de julho de 2017

O que vale mais, 54 milhões de votos de Dilma ou os 53 mil votos de Maia?



Poder 360 - Caso Michel Temer seja cassado por causa da denúncia por corrupção passiva da qual é alvo, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), é o principal nome para se tornar o 3º presidente no mandato de 2015-2019. No último pleito, Maia teve apenas 53.167 votos. Equivale a 0,69% dos votos válidos para deputado federal no Rio.


O demista foi só o 29º mais votado no Estado, que tem direito a 45 cadeiras na Câmara. Deputado mais votado no RJ, Jair Bolsonaro, eleito pelo PP e pré-candidato à Presidência em 2018, teve 464.572 votos.

Maia é o 1º na linha de substituição da Presidência da República.

Em 2012, quando Maia se candidatou à Prefeitura do Rio, conseguiu 95.328 votos. Ficou em 3º, atrás de Eduardo Paes (PMDB) e Marcelo Freixo (Psol), com 2,94% dos votos válidos.


O presidente da Câmara já tem se articulado para ser, possivelmente, o 38º presidente da República. Reuniu-se com deputados e senadores nas últimas semanas e também com representantes de grandes empresas do mercado financeiro. Já elabora uma possível formatação de ministérios. Não pretende mexer na equipe econômica. A manutenção de Henrique Meirelles como ministro da Fazenda agrada ao mercado.

Maia tenta se mostrar como o único capaz de fazer avançar as reformas propostas pelo governo Temer. Após a apresentação da denúncia da PGR, a gestão do peemedebista entrou em certa paralisia. Os projetos previstos para aprovação no 1º semestre foram postergados. A reforma da Previdência, principal pauta de 2017, está parada na Câmara e sem nenhuma previsão de retomada por enquanto.