quarta-feira, 5 de julho de 2017

Temer será denunciado por compra de votos para evitar cassação


Revista Fórum - Três deputados petistas apresentarão à procuradoria-geral da República (PGR) , nesta quarta-feira (5), uma denúncia contra Michel Temer por compra de votos na Câmara. Paulo Pimenta (RS), Wadih Damous (RJ) e Paulo Teixeira (SP) acusam o peemedebista de usar o cargo de Presidente da República para compra de votos contra a denúncia por corrupção em que é alvo na Câmara dos Deputados, apresentada pela própria PGR.


“Justamente na data em que a CCJ da Câmara dá início ao processo contra Temer, ele passa o dia recebendo deputados indecisos. Está evidente que ele está usando a máquina do governo para comprar votos e fazer chantagens e pressão sobre parlamentares”, afirmou, em nota, o deputado federal Paulo Pimenta.


Pimenta se referiu, em sua fala, ao fato de Temer ter cancelado todas as suas agendas externas hoje para receber, no Palácio do Planalto, 22 parlamentares de diferentes partidos. Para os deputados petistas, o movimento é uma evidência de que o peemedebista está usando seu poder para comprar votos e pressionar deputados para evitar que sua denúncia vá para o STF e seu mandato seja cassado.

“As notícias demonstram que as deletérias e criminosas práticas a ele atribuídas pelo PGR não só não cessaram como podem estar em plena atividade”, disseram os três parlamentares petistas em nota conjunta.

Além da compra e da influência direta, os deputados apontam que a compra de votos se deu também com um movimento claro de Temer em agradar parlamentares com distribuição de R$ 4,2 bilhões em emendas somente no mês de junho. Esse montante é quatro vezes maior a todo valor que foi liberado de janeiro a maio de 2017, cerca de R$ 1 bilhão.