domingo, 6 de agosto de 2017

Delcídio não consegue provar delações contra Dilma e pode ter pena agravada


Divulgada em março de 2016, a delação premiada do ex-senador Delcídio Amaral foi decisiva para viabilizar o golpe de 2016 contra a presidente Dilma Rousseff.


No entanto, o ex-senador Delcídio Amaral até agora não conseguiu comprovar o teor de suas declarações. Ele Delcídio já prestou 21 depoimentos, mas, até agora, só apresentou suas próprias agendas, segundo aponta reportagem da jornalista Letícia Casado, publicada na Folha de S. Paulo.

Delcídio acusava Dilma e o ex-ministro José Eduardo Cardozo de nomear um ministro para o Superior Tribunal de Justiça para que ele soltasse os presos da Lava Jato – o que seria obstrução judicial.


A tendência, no entanto, é o que o caso seja arquivado por absoluta falta de provas.

"Investigadores afirmam que era possível perceber que as declarações dificilmente seriam ratificadas porque o ex-senador não entregou provas. Por isso, seria difícil comprovar que os fatos não eram apenas articulações políticas", diz a jornalista.