quarta-feira, 9 de agosto de 2017

MP desarquiva ação contra Lula no dia em que a PF isentou Aécio


247 – A Justiça brasileira deu mais uma demonstração de partidarização nesta quarta-feira 9.


De um lado, o senador Aécio Neves (PSDB-MG), um dos mais delatados na Lava Jato e acusado de receber um terço da propina desviada de Furnas, estatal do setor elétrico em Minas Gerais, foi inocentado pela Polícia Federal no processo.

De outro, a Câmara de Combate à Corrupção da Procuradoria Geral da República (PGR) decidiu desarquivar uma investigação contra o ex-presidente Lula relacionada ainda ao caso do 'mensalão', como informa reportagem de Vinicius Sassine.

O caso envolvendo Lula trata de um suposto pagamento de US$ 7 milhões da Portugal Telecom para o PT quitar dívidas de campanhas eleitorais. A acusação foi feita pelo empresário Marcos Valério e a PF abriu um inquérito em 2013 para apurar o episódio.


Valério acusou Lula e o ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci de terem negociado o pagamento pessoalmente, dentro do Palácio do Planalto. Mais de 20 pessoas foram ouvidas pela PF no inquérito e os investigadores não encontraram indícios dos pagamentos.

A Procuradoria da República no Distrito Federal (PRDF) pediu o arquivamento das investigações em setembro de 2015, mas a Câmara de Combate à Corrupção, que revisa atos como arquivamentos de inquéritos, decidiu que a investigação deveria continuar.